Sexta, 19 de Julho de 2024
21°C 36°C
Palmas, TO
Publicidade

Encoleiramento e testagem de cães mobilizam população no combate ao calazar

Ação contra o calazar seguirá até as 17 horas no Santa Fé e Bela Vista

22/06/2024 às 13h56
Por: Redação Fonte: Prefeitura de Palmas - TO
Compartilhe:
Cães foram testados para detecção da leishmaniose visceral - Fotógrafo:Fernanda Mendonça/Semus
Cães foram testados para detecção da leishmaniose visceral - Fotógrafo:Fernanda Mendonça/Semus

Logo no início da manhã deste sábado, 22, os moradores da região Sul de Palmas se reuniram com seus cães em frente à Unidade de Saúde (USF) Santa Fé, no Santa Fé II, e na Escola Municipal Sávia Fernandes, no setor Bela Vista, para encoleirar os animais e realizar a testagem para detecção da leishmaniose visceral, conhecida como calazar. A ação seguirá até as 17 horas e atenderá moradores das regiões Santa Fé I, Santa Fé II, Santa Fé III, Santa Fé IV, Setor Sul, Bela Vista e Taquaralto.

O encoleiramento e testagem vêm sendo realizados desde o início de março deste ano, em regiões endêmicas, ou seja, com mais casos de cães com calazar, como estratégia de combate à doença. O último balanço, divulgado no início desta semana, mostra que 4.630 cães já foram beneficiados com a ação, e a expectativa da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) de Palmas, por meio da Unidade de Vigilância e Controle de Zoonoses (UVCZ), responsável pela mobilização, é atender mais de 5 mil cães.

A dona de casa Micaele José Rodrigues, 23 anos, levou a Lola, de 3 anos, da raça pinscher, para receber sua primeira coleira repelente contra o calazar. “Em 15 minutos já recebi o resultado negativo do exame, o que me deixou mais tranquila, pois a Lola é muito amada pela família. É uma iniciativa importante da Prefeitura, pois muitas pessoas não podem comprar a coleira ou realizar o exame”, explicou.

Quem também compareceu à USF Santa Fé durante a manhã foi a gerente de açaiteria Rosivânia Lopes da Silva, 40 anos, moradora do Santa Fé II, acompanhada dos carismáticos Zezinho, de 2 anos, e Fred, de 9 anos. “Os exames foram negativos e agora continuarei com os cuidados de rotina, só que mais tranquila, pois agora os dois têm coleiras repelentes”, celebrou.

Para a vendedora Maria Thais Sousa, 31 anos, essa foi a oportunidade de obter uma coleira repelente para seu amigo, o Dog, de 5 anos. “Já sabia da existência dessa coleira, mas não tive como comprar, e agora ele está devidamente protegido”, comemorou.

Retorno

As equipes da UVCZ retornarão aos locais já atendidos, como o Jardim Taquari, primeiro bairro contemplado, para realizar a troca das coleiras, pois a durabilidade é de seis meses. Portanto, até a próxima troca, os tutores devem manter as coleiras nos animais e seguir todos os cuidados recomendados, como o uso de spray repelente e a limpeza dos quintais para retirada de matéria orgânica, pois o mosquito palha, transmissor da doença, é atraído por material em decomposição.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Palmas, TO
21°
Tempo limpo

Mín. 21° Máx. 36°

21° Sensação
2.06km/h Vento
68% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
06h31 Nascer do sol
06h07 Pôr do sol
Sáb 36° 21°
Dom 36° 21°
Seg 37° 20°
Ter 37° 21°
Qua 38° 24°
Atualizado às 01h04
Publicidade
Publicidade
Economia
Dólar
R$ 5,54 -0,08%
Euro
R$ 6,04 -0,08%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,71%
Bitcoin
R$ 377,855,70 +0,73%
Ibovespa
127,652,06 pts -1.39%
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade