Segunda-feira, agosto 15, 2022

Vanda Monteiro assume presidência do PSL do Tocantins; Antônio Jorge dispara: “Traíra”

Pré-candidata à Prefeitura de Palmas, a deputada estadual Vanda Monteiro anunciou nesta terça-feira, 18, que assumiu à presidência do diretório estadual do Partido Social Liberal (PSL). A parlamentar relata que o convite partiu diretamente da executiva nacional, a cargo de Luciano Bivar. A nova dirigente partidária substituiu Antônio Jorge, que revelou  não estar nada satisfeito com a mudança.

 

Em material enviado à imprensa, Vanda Monteiro comemorou a confiança da direção nacional. “Assumir a presidência do PSL é uma conquista que confirma a confiança que partido depositou no trabalho que venho desenvolvendo no Tocantins e em Palmas. Aceito esse desafio com orgulho e vontade de trabalhar”, destaca a nova presidente.

Sobre as eleições municipais, Vanda Monteiro reforçou que está à disposição dos eleitores como pré-candidata à prefeita de Palmas. “Além do projeto político que temos para a capital, seguiremos com o trabalho articulado nos municípios. Nossa meta é eleger o maior número de prefeitos e vereadores”, afirmou a parlamentar por meio da assessoria.

Antônio Jorge revelou que a troca de comando foi longe de ser pacífica e fez duras críticas à deputada estadual, acusando-a de traição. “Fez sem conversar com ninguém. Traíra. Não conhece 3% das cidades do Tocantins. Não é assim que se faz política. Ela está atrás do fundo partidário e vai ser ruim é para o partido”, disparou o ex-presidente, sugerindo que a nova direção vai priorizar o projeto eleitoral da Capital e ignorar o interior.

Antônio Jorge ainda sugeriu que Vanda Monteiro somente se elegeu porque, quando presidente, evitou coligar com legendas que tinham candidatos com mandato. “Tinha que me agradecer”, reforçou. O ex-presidente ainda disse que a deputada “não tem credibilidade” porque “não apoiou nenhum candidato do PSL” nas eleições de 2018.

O ex-presidente adiantou que não deve permanecer no partido, mas adiantou que não vai tomar decisão sozinho. Antônio Jorge garante ter o apoio de todos as comissões municipais do partido, que teriam sido organizadas por ele para as eleições municipais. “Com ela [Vanda Monteiro] no comando, pode ter certeza que não tem clima. Traíra, traiçoeira, falsa. Mas eu não tomo posição sozinho”, encerrou.

Para comentar as críticas, a assessoria de Vanda Monteiro questionou o argumento de traição usado por Antônio Jorge, visto que o convite para que a deputada assumie o PSL partiu “diretamente da executiva nacional”.

- Publicidade -- Publicidade -
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

POPULARES