Quarta-feira, agosto 10, 2022

PM promove mesa redonda sobre saúde mental em alusão ao setembro amarelo.

Saúde mental nas Forças Militares do estado do Tocantins: olhares e possibilidades foi tema da mesa redonda que aconteceu no auditório do Quartel do Comando Geral da PM, na manhã desta quarta-feira, 25, em Palmas, que contou com a presença de oficiais do Estado-Maior da PM e do Corpo de Bombeiros, comandantes de batalhões e praças lotados na capital.

O diretor de saúde e promoção social da PM, coronel Wesley Borges Costa, abordou sobre a importância de programas na corporação para lidar com uma doença que traz angústia tanto para os pacientes quanto para os profissionais de saúde.

A pastora da Igreja Batista Getsemâni, Elisabel Gaspareto, falou da importância do desenvolvimento das competências diárias. Ela explicou que os limites emocionais e psicológicos interferem diretamente na forma mental, comportamental e emocional. Assim, “o autoconhecimento e a inteligência artificial são essenciais para administrarmos nossas emoções e nosso comportamento. E a espiritualidade faz parte disso, ela nos ajuda a ficar sadios”, disse.

Logo após, o comandante geral da PM, coronel Jaizon Veras Barbosa, ressaltou que, “os militares lidam constantemente com as emoções pessoais e as de outras pessoas, como no caso do atendimento de ocorrências que envolvem situações de risco. Somos preparados e dotados de plena capacidade mental e psicológica, mas existem diversos fatores como o estresse que desencadeiam doenças mentais. Diante disso, a corporação se preocupa em discutir sobre o assunto e propor ações em saúde para os nossos profissionais da segurança pública”.

A mesa redonda foi composta pelo médico psiquiatra, Dr. Sérgio Stella, médico perito da Junta Militar Central de Saúde (JMCS) e psiquiatra forense, a tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, Juliana Corgozinho, psicóloga e mestre em Ciências do Ambiente, especialista em saúde mental, pela  psicóloga e mestre em Psicologia, Lucilene Prado e Silva (convidada), especialista em terapia comportamental, cognitiva e em saúde mental e a major da PM, Juliana Di Silva, mestre em Psicologia, que foi a mediadora da mesa.

Os profissionais fizeram explanações sobre a doença mental, suas causas e consequências, sobre a estrutura da JMCS que atende policiais e bombeiros militares no estado do Tocantins, sobre o atendimento realizado pela Fundação Pró-Tocantins, falaram também de propostas de promoção de saúde psíquica nos ambientes de trabalho e sobre os dados de atendimentos a militares no Tocantins, alertando sobre a importância de se discutir o adoecimento mental e as relações de trabalho.

Em seguida, o público pode interagir com os profissionais através de perguntas-respostas, onde fizeram questionamentos acerca da identificação de sintomas e sobre o tratamento de doenças mentais. Ao final do evento foi realizado um sorteio de brindes para os participantes.

- Publicidade -- Publicidade -
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

POPULARES