Quarta-feira, agosto 10, 2022

Jogos Escolares da Juventude vão além das competições esportivas entre escolas do Brasil

Para além de uma competição esportiva, os Jogos Escolares da Juventude são uma oportunidade para os atletas. Oportunidade para conviver por alguns dias com pessoas de todo o Brasil e de outros países; oportunidade para aprender sobre novas culturas e formas de competir; oportunidade de compartilhar suas próprias vivências com outros jovens que também queiram conhecer um pouco mais.

Muito por isso, os 4.998 atletas que fazem desta a maior edição dos Jogos Escolares da Juventude dos últimos anos aproveitam tanto essa competição. Para muitos deles, esta é a única forma de competir em nível nacional por não fazerem parte de alguma federação, ou confederação esportiva. Os Jogos Escolares da Juventude oportunizam essa vivência, dentro de valores esportivos e olímpicos como a competitividade, o jogo limpo, o companheirismo, a disciplina e o respeito mútuo.

Para dar ainda mais peso à máxima de que esporte e educação devem caminhar juntos, o Comitê Olímpico do Brasil (COB), que organiza os Jogos Escolares da Juventude, convida anualmente embaixadores que podem conviver com as crianças e os adolescentes, compartilhar experiências e dar dicas sobre a competição. Desde o ano passado, o COB convida professores de renome  para compor o time de 14 embaixadores ao lado dos atletas olímpicos.

O professor Sílvio Predis, que possui o canal Química Nota 10 no Youtube. Com mais de 67 mil inscritos, o canal dá dicas da disciplina escolar de forma dinâmica e lúdica, como forma de incentivar a aprendizagem da Química entre os estudantes, é um desses embaixadores.

Para o educador, a aliança entre esporte e educação é determinante para o desenvolvimento social e educacional dos estudantes. “O esporte permite uma melhora social, uma melhora na autoestima, além de trabalhar a criatividade das crianças, o que no futuro pode ser fundamental para o mercado de trabalho. Alunos que atualmente não possuem essas características, quando praticam esportes as desenvolvem muito rápido”, explicou.

Entre os atletas, o ginasta Francisco Barreto, que conquistou três medalhas de ouro nos Jogos Panamericanos em Lima, 2019, destacou que iniciou na Ginástica Artística ainda em idade escolar. Para ele, o esporte cumpre uma importante função no desenvolvimento humano das crianças. “Eu iniciei na Ginástica aos sete anos de idade, porque a Ginástica é um esporte precoce, em que alguns movimentos devem ser iniciados muito cedo. Mas, acima de tudo, a Ginástica Artística pode abrir portas para outras modalidades”, completou.

Dentro deste contexto, atletas e professores tocantinenses destacam a experiência vivida em Blumenau, além das disputas nas pistas, quadras e tatames. “Este é um evento nacional, com atletas de todo o Brasil e eu espero sempre aprender muito, pois esse contato com pessoas de outros estados é muito enriquecedor para a nossa vida”, destacou Amanda Amorim, judoca do Colégio Estadual Dom Alano Marie Du Noday.

Mesma opinião é compartilhada pelo técnico da equipe de Judô, o sensei Celso Galdino. Para ele, a participação das crianças e adolescentes em competições como os Jogos Escolares da Juventude, em que o foco é o esporte escolar, contribui de forma positiva no desenvolvimento dos estudantes. “A participação nesses jogos é uma oportunidade ímpar de desenvolvimento além das competições. Oportunidade de estreitar relacionamento, de contato que eles vão ter com atletas do Brasil todo, expandir a cultura. Não é só a competição que é importante aqui”, completou.

Centro de Convivência

Uma outra área importante na estrutura dos Jogos é o Centro de Convivência. Lá, os atletas podem conviver com colegas de outros estados e participar de espaços interativos com games, quis, oficinas de esportes, tênis de mesa, pebolim, parede de escalada e futebol de mesa.

No Centro de Convivência, ainda são realizadas apresentações culturais e dicas de Língua Portuguesa, Química e Matemática com os professores-embaixadores, fazendo mais um link entre a prática esportiva à educação, assim como a biblioteca que disponibiliza livros gratuitamente aos atletas que devem devolvê-los ao final de cada bloco de competições.

Jogos Escolares 2019

Repetindo a fórmula implantada pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) em 2018, neste ano, os Jogos Escolares da Juventude também foram divididos em três etapas regionais – realizadas em Blumenau (contemplando os estados das regiões Sul e Sudeste, mais Mato Grosso do Sul e Goiás), Natal (contemplando os estados da região Nordeste) e em Palmas (com os estados da região Norte, mais Mato Grosso e Distrito Federal).

Já a etapa nacional vai até dia 29 de novembro, em Blumenau, que foi sede de uma das regionais. Na cidade catarinense, os atletas e equipes do Tocantins competem em 10 modalidades, sendo elas: Atletismo, Badminton, Basquetebol, Ciclismo, Ginástica Rítmica, Judô, Natação, Tênis de Mesa, Xadrez e Vôlei de Praia.

- Publicidade -- Publicidade -
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

POPULARES