Erivelton Teixeira. – Foto: Divulgação

A sordidez e a mente criminosa de muitas pessoas, por mais tenebroso seja os dias que vivemos, ainda nos surpreende.

O médico e prefeito de Carolina/MA Erivelton Teixeira Neves está sendo acusado de ter realizado um aborto ilegal, e pior, sem o consentimento de Rafaela Maria Sousa Santos, dentro do motel Oasis em Augustinópolis. Rafaela, então com 29 anos em 2017, quando o crime ocorreu era amante do médico que tirava expediente em Axixá do Tocantins.

Pela descrição das conversas de facebook o crime parecia todo premeditado pelo Dr Erivelton que a teria atraído para o motel alegando que queria examiná-la através de uma “ultra som transvaginal”. Conforme Rafaela o prefeito durante a gravidez demonstrava amor e carinho pelo nascituro, então a vítima não desconfiou de nada.

Porém, ainda de acordo com a mulher, o médico e prefeito, a anestesiou, ele arrancou a criança da barriga da mãe, deixando-a em casa após o ato ocorrido no dia 02 de março de 2017 nas dependências do motel.

O destino da criança de acordo com a mãe, foi ser assassinada no mesmo quarto de motel, usado minuciosamente para a prática de infanticídio.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O outro personagem desta história é Lindomar Nascimento, à época motorista do médico e hoje vereador na mesma cidade e de acordo com a jovem fazia o papel de interlocutor da relação amorosa extraconjugal entre o prefeito e amante fixa.

Após o aborto ela relata que foi deixada em casa, na cidade de Axixá com fortes dores e teria ligado ao alcoviteiro questionando-o o motivo do seu amante ter feito tal barbaridade com ela e com a criança, sem nuca ter uma resposta. No Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia de Polícia de Augustinópolis em 01/12/2017 também não é informado o destino do feto.

Confira vídeo com detalhes do caso: