AGUIARNÓPOLIS – Durante uma reunião na sede da Associação Tocantinense de Municípios (ATM), em Palmas, a gestão de Aguiarnópolis informou que pretende manter as aulas em formato remoto, mesmo após autorização para a modalidade presencial. É que o município, assim como vários outros que se manifestaram em todo o estado, quer esperar a vacinação da maior parte dos moradores para voltar às escolas com mais segurança.

“Está havendo oscilações de casos de contaminação na grande maioria dos municípios, um sobe e desce de números que não traz nenhuma seguridade para o retorno de aulas presenciais”, disse o presidente da ATM, Diogo Borges.

Concordaram em manter o ensino remoto todos os 30 prefeitos que estiveram na reunião extraordinária convocada para discutir o assunto. Um dos principais motivos é que os profissionais da educação ainda não receberam a vacina contra o coronavírus. Apesar de o governo estadual ter tornado as atividades escolares serviços essenciais, ainda não há uma data para o início da imunização.

Além de Aguiarnópolis, se manifestaram a favor das aulas remotas os prefeitos de: Abreulândia, Araguanã, Brasilândia, Centenário, Chapada da Natividade, Cristalândia, Divinópolis, Dois Irmãos, Figueirópolis, Goianorte, Jaú do Tocantins, Juarina, Marianópolis, Monte Santo, Muricilândia, Natividade, Peixe, Ponte Alta do Bom Jesus, Porto Alegre, Rio da Conceição, Rio do Bois, Rio Sono, Santa Fé do Araguaia, São Salvador, Sucupira, Taguatinga, Talismã, Tupirama e Wanderlândia.

Outros 40 prefeitos se manifestaram no grupo da ATM no WhatsApp contra o retorno das atividades presenciais, mas a lista destes não foi divulgada.

(Com informações do G1)