O Governo do Tocantins, que valoriza o agricultor familiar extrativista, apoia a proposta da 14ª edição do Festival Gastronômico Taquaruçu em trazer o sabor do Cerrado para os pratos competidores no campeonato que ocorre anualmente em Palmas, o que torna a atividade dos produtores relevante, um evento onde os produtos extraídos do Cerrado podem ser conhecidos até mesmo no exterior.

Com o tema Comida de Verdade Agricultura Sustentável e alimento justo, a gestão municipal realiza a 14ª edição do Festival Gastronômico Taquaruçu, agora em formato semidigital para evitar aglomerações, em obediência ao Decreto Municipal n° 1.863 de 22 de março de 2020, que dispõe sobre medidas de enfrentamento da pandemia provocada pela Covid-19. Desta forma, o evento, que possui quatro etapas, passou pela fase degustação entre os dias 31 de agosto e 4 de setembro na sede da Agência Municipal de Turismo (Agtur), no Centro de Convenções – Parque do povo Arnauld Rodrigues. O festival seguirá entre os dias 8 e 10 de outubro com a transmissão de conteúdos gravados nas páginas oficiais da Prefeitura de Palmas; e a comercialização nas categorias restaurante e empreendimentos, conforme o Decreto Municipal n° 1.903.

O secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro) e presidente do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), Thiago Dourado, valoriza a iniciativa da gestão municipal e ressalta sobre o potencial do Estado com a biodiversidade e o extrativismo como geração de renda para a agricultura familiar. “A biodiversidade do Tocantins proporciona atividades de geração de renda ao homem do campo. São os pequenos produtores que, por meio da assistência técnica e da extensão rural, oferecidas pelo Governo do Tocantins e pelo Governo Federal, por intermédio de convênios específicos para a agricultura familiar, realizam a coleta e o beneficiamento dos frutos e garantem a sustentabilidade na atividade. O festival gastronômico prova que produtos típicos do Cerrado podem estar presentes na mesa dos diversos restaurantes”, enfatizou Thiago Dourado.

A engenheira de Alimentos, doutora Verônica França, convidada a fazer parte do corpo de jurados, declarou que o Cerrado tem riquezas e irá surpreender com a diversidades de sabores.

“Este festival tem tudo a ver com as nossas políticas de trabalho, um Cerrado mais produtivo, um Cerrado sustentável, utilizando a gastronomia como ponte. Nós temos um Cerrado lindo, e o festival traz toda essa beleza, riqueza e saúde para o prato das pessoas, com essa ideia fascinante que os participantes terão que apresentar”, destacou Verônica França.

Para Malena Mota, presidente do festival, esse é um marco na história da gastronomia no Tocantins. “É onde as pessoas afloram a criatividade, não é necessário ser profissional para participar desse momento. Nós acolhemos todos que gostam de fazer aquela comidinha. Este ano, estamos valorizando a comida de verdade com ingredientes regionais”, informou.

Rota gastronômica

A Rota Gastronômica de Taquaruçu ocorrerá apenas para os inscritos na categoria Restaurantes e Empreendimentos, onde a comercialização será no distrito de Taquaruçu e Taquaruçu Grande, conforme o Decreto Municipal n° 1.903, que autoriza abertura de bares e restaurantes.

Frutos como destaque

“Buriti, pequi, baru, macaúba, uma explosão do Cerrado passando nos pratos desse campeonato. Este ano, um dos itens obrigatórios do Festival é justamente ter um produto raiz”, destacou a engenheira de Alimentos, Verônica França, ao enfatizar que encontrar pratos inovadores mostrou o grande potencial dos participantes e a singularidade dos frutos do Cerrado. “Me surpreendi com a inovação dos participantes, um dos pratos que demonstra criatividade apresentou o molho de buriti como ideia fantástica de aproveitamento do fruto”, evidenciou.

Malena Mota, que também é chefe de cozinha, ressaltou sobre a importância do tema abordado e a valorização do Cerrado Tocantinense. “Nós colocamos ingredientes sustentáveis, valorizando os frutos que estão disponíveis nos quintais e são pouco aproveitados no dia a dia. A proposta incentiva os participantes a fazerem uso dos frutos que são acessíveis e a criarem receitas que podem ser sucesso internacional”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui