O Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), por meio da equipe do Parque Estadual do Cantão (PEC) e em parceria com o Destacamento de Política Militar Ambiental (DPMA) de Caseara, realizou uma operação de patrulhamentos aquático e terrestre nos rios Araguaia e Coco, lagos da Cabana e Paredão, Projeto de Assentamento Onalício Barros (Marianópolis) e ponte sobre o rio Coco (Pium). O patrulhamento ocorreu entre os dias 5 e 8 de setembro.

Durante a ação no Rio Araguaia, a equipe flagrou dois infratores praticando pesca predatória, não portando licença para exercerem a atividade. No acampamento dos referidos pescadores, foram apreendidos 17 quelônios – tartarugas da Amazônia (Podocnemis expansa), que estavam presos em um saco; uma caixa de isopor com 35 kg de pescado de várias espécies e 480 metros de redes de pesca. Os dois foram autuados por crimes ambientais. A multa aplicada pela captura dos quelônios foi de R$ 85 mil e R$ 1,9 mil pela pesca ilegal.

Já no Rio Coco, ao vistoriar acampamentos, a equipe encontrou duas caixas de isopor com 30 kg de pescado de diversas espécies e 100 metros de rede. Foi lavrado auto de infração com aplicação de multa no valor de R$ 1,6 mil. Os 65 kg de peixes foram doados para moradores de comunidades carentes dos municípios de Caseara e Marianópolis. Todo o material apreendido foi levado para o pátio do DPMA.

O gerente do PEC, Adailton Glória, informou que esses patrulhamentos são rotineiros e cumprem uma orientação do próprio presidente do Naturatins, Sebastião Albuquerque, no sentido de mitigar os crimes ambientais praticados no interior do Parque. “Todos os dias, as equipes fazem patrulhamento em diversos pontos de rios e lagos do Cantão, como forma de evitar crimes ambientais”, ressaltou o gerente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui