Quinta-feira, agosto 11, 2022

Escola Estadual São José Operário de Paraíso passa a ser Cívico-Militar

A Secretaria de Estado da Educação, Juventude e Esportes, por meio da Superintendência de Desenvolvimento da Educação Básica, realizou, na tarde desta segunda-feira, 25, em Paraíso, uma consulta pública à comunidade escolar e local de Paraíso para adesão ao Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares (PCIM). Trata-se da Escola Estadual São José Operário, localizada no município de Paraíso, na região norte da cidade.

Participaram do evento servidores da unidade escolar, pais de alunos e comunidade local, para, de forma democrática, tomarem a decisão sobre a implantação ou não da Escola Cívico-Militar.

Kelma Tavares Barbosa, responsável Técnica pela Unidade Técnica Executiva (UTE) de Modalidades e Ofertas Especiais, explanou sobre as principais diretrizes operacionais inerentes à implantação dos modelos cívico-militares. A técnica deixou claro que a escolha é da comunidade. “A consulta à comunidade é para acatar as sugestões e opiniões dos que trabalham na unidade escolar. Tanto pais, estudantes e comunidade são quem decidem sobre as escolha do que for melhor para todos”, destacou.

Em Paraíso já existe um Colégio Cívico-Militar, Unidade V, na região sul da cidade. Na reunião, o major Rafael Silva Crespo diretor do CCM Unidade II, de Palmas, explicou sobre o funcionamento das escolas cívico-militares existentes no Estado. Dúvidas foram esclarecidas aos servidores e à comunidade. “O êxito obtido nesse modelo de ensino é excelente, tanto nas escolas do Tocantins quanto nas de outros estados da federação”, enfatizou.

Para Oto Sabino da Silva neto, professor de biologia, a implantação do Colégio Cívico-Militar agrega valor à escola e à região. “Com a disciplina no sistema militar e a orientação e suporte militar, os estudantes conseguem construir os sonhos de forma mais ampla e melhor qualidade na educação, além de valores morais e éticos que serão ponto forte no ensino”, destacou.

Segundo Elivanda Souza da Silva, mãe da Yasmim Silva da Costa, estudante do 7º ano, a mudança da forma de ensino é um sonho. “Esse projeto é importante para a nossa comunidade, é um anseio antigo do povo dessa região. Já lutávamos por vaga no ensino militar e não havia. Estamos ansiosos pela implantação”, comentou.

O PCIM por Estado

Na fase piloto, o Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares (PCIM) contemplou duas unidades de ensino por estado da federação. Porém, o Tocantins foi contemplado com mais uma unidade. Após a seleção das unidades de ensino, o Ministério da Educação (MEC) implementará todas as diretrizes do programa, que tem previsão de início das atividades o ano letivo de 2020. Além disso, o programa conta com aporte financeiro do Governo Federal para investimento nas unidades selecionadas.

Na quinta-feira, 30, de outubro, ocorreu a consulta na comunidade da Escola Estadual Hercília Carvalho da Silva, em Gurupi, para adesão PCIM; Na sexta-feira, 31, ocorreu a consulta à comunidade escolar da Escola Estadual Maria dos Reis Alves Barros, localizada no setor Taquari, em Palmas, para adesão ao Programa Nacional de Escolas Cívico-Militares (PCIM). Portanto, as três escolas que pertencem ao Programa são: Escola Estadual Maria dos Reis Alves Barros, de Palmas; Escola Estadual Hercília Carvalho da Silva, de Gurupi, e, por último, a Escola Estadual São José Operário, de Paraíso.

- Publicidade -- Publicidade -
ARTIGOS RELACIONADOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Publicidade -spot_img

POPULARES